Um bocadito para lá das aparências
Quarta-feira, 1 de Agosto de 2007
O Desenvolvimento Cognitivo Segundo Vigotski - 5

( ...) Enquadramento Geral - 1.1 Breve Incursão Pela História da Psicologia (Continuação...)     


      No entanto, no escopo das práticas experimentais e do positivismo, a psicologia apresenta desde logo uma grande dificuldade, que consiste no alcance fugidio do seu objecto próprio – a psique caracteriza-se por uma subjectividade que escapa à observação prática, as suas manifestações não se podem objectivar como os elementos que os cientistas observam no tubo de ensaio. Este facto levanta desde logo problemas relativamente à metodologia a adoptar. As grandes variações paradigmáticas da psicologia variam em torno desta questão central – a metodologia confrontada com as dificuldades de acesso ao objecto seu especifico, ou seja, a subjectividade e a volatilidade do psiquismo humano dificilmente poderá ser submetido aos métodos experimentais que caracterizam as ciências empíricas e naturais – o seu objecto é fugidio e as condições de seu estudo dadas à teorética e à especulação.

      Regra geral as metodologias empregues ao serviço da investigação em psicologia têm duas grandes áreas de referência – a introspecção e a observação controlada, cada uma das quais com limitações e pontos de ruptura. Por um lado, a introspecção dependerá sempre da apreciação de um sujeito que poderá adulterar determinados factores significativos, por outro, a observação directa das respostas a determinados estímulos poderá ser falseada pela dúbiez dos processos internos, que como já referimos, não são directamente observáveis, daí não completamente fiáveis. Não obstante, Piaget, o pai do desenvolvimento cognitivo como disciplina da psicologia, desenvolve o método clínico. Através do método clínico, Piaget pretende evitar as generalizações, mesmo no seu próprio campo, e toma um cuidado especial para não resvalar para os domínios correlatos da lógica, da teoria do conhecimento ou da história da filosofia. Na realidade, embora a área específica do estudo da psicologia singre por trilhos escorregadios e movediços, o empirismo puro, parece ser para Piaget, o único terreno seguro.


Nota:


Método Clínico


Não é um método de pesquisa nem pretende descobrir leis do comportamento mas constitui-se como uma série de procedimentos de diagnóstico e tratamento de pessoas com problemas de comportamento e /ou emocionais.

Deste modo o estudo desenvolve-se sobre um único indivíduo ao longo de determinadas fases:

  • Anamnese - Levantamento da história individual do paciente, recorrendo a fontes externas e trazendo à memória informações perdidas. Esta fase permite elaborar algumas hipóteses de trabalho que vão condicionar a fase seguinte
  • Entrevista - Colocação de questões ao paciente na tentativa de seleccionar hipóteses a partir das suas respostas verbais e não-verbais (gestos, reacções, etc.)
  • Observação - Estudo dos comportamentos do paciente no seu ambiente natural de modo a confirmar a hipótese seleccionada
  • Testes - Realização de testes de personalidade (do tipo projectivo) de modo a certificar as conclusões. Note-se que estes testes podem ser igualmente utilizados no início do processo de modo a fornecer informações.


publicado por Transbordices às 18:40
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
16
17
18

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


posts recentes

Frango???

A Volta

O Vidrão

A Culpa?

A convicção

No princípio

Melhor que isto...

...

Será que agora vai?

Cá estamos

Estou Armado ao Pingarelh...

Do Mito à Natureza

A Vontade do Saber

O que é a Ontologia?

...

A Multa

A Marca

O Tempo visto por quem di...

Limites

...

arquivos

Julho 2008

Junho 2008

Abril 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

blogs SAPO
subscrever feeds