Um bocadito para lá das aparências
Terça-feira, 1 de Julho de 2008
A convicção

Quando me disse que não gostava desconconfiei! Não perguntei frontalmente de que particularidade não gostava, não quis tornar-me inconveniente, embora tivesse todas as condições para lhe destruir a convicção. Perguntei antes - "Já aprofundaste suficientemente para saberes que não gostas?". Iniciou um discurso atabalhoado, lavagem cerebral com défice de detergente. Afinal era falta de jeito - incompetência transfigurada em puro desdém. Faltou-lhe apenas confessar a verdade. Tinha tentado mas a frustração amargara-lhe o espírito. Lá me deixou ajudar. Ainda agora se serve feliz da obra depreciada, lá jeito faz-lhe. Como agradecimento transmite-me a ideia que só os nabos percebem daquelas coisas. Não é passatempo que eu vá abandonar meu amigo. Para sair é preciso ter entrado. Tu não chegaste a entrar...



publicado por Transbordices às 18:28
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
16
17
18

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


posts recentes

Frango???

A Volta

O Vidrão

A Culpa?

A convicção

No princípio

Melhor que isto...

...

Será que agora vai?

Cá estamos

Estou Armado ao Pingarelh...

Do Mito à Natureza

A Vontade do Saber

O que é a Ontologia?

...

A Multa

A Marca

O Tempo visto por quem di...

Limites

...

arquivos

Julho 2008

Junho 2008

Abril 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

blogs SAPO
subscrever feeds