Um bocadito para lá das aparências
Terça-feira, 15 de Abril de 2008
Cá estamos
Uma pérola da astrologia, com que fui brindado à hora do lanche, aqueles écrans que costumam povoar as zonas de restauração:

Segundo astróloga x, os aquários "terão tendência para serem demasiado sinceros no amor"

Não compreendo muito bem, esta coisa de atribuir graus ao acto da sinceridade. Como raio é que vou determinar numa escala de 1 a 10 o grau da sinceridade? Ainda para mais no amor?

Estou a ver - O zé chega a casa e diz à mulher "hoje pus-te os cornos, mas não te preocupes, só introduzi metade do pénis. Podes ficar descansada e que venha de lá um chochinho..."

Por outro lado, se o zé dissesse à mulher que não lhe tinha posto os cornos, não estaria a ser nada sincero, estaria a mentir. Ou se mente ou não se mente, é esta a realidade, não se pode ser mais ou menos sincero, no mínimo pode-se é mentir de vez em quando.





publicado por Transbordices às 17:35
link do post | comentar | favorito

9 comentários:
De cigana a 15 de Abril de 2008 às 22:45
Ah, seja bem aparecido!
Quanto ao post, não é bem assim, existe a sinceridade e existe a verdade nua e crua, que são diferentes.
Numa, o Zé é sincero e diz à mulher:"Traí-te mas foi uma estupidez sem significado, mas continuo a gostar de ti e estou arrependido" - E a mulher chora.
Noutra, o Zé resolve ser absolutamente franco e diz à mulher: "Olha, pus-te os corno com uma gaja podre de boa, porque não podia deixar de papar uma boazona daquelas, percebes, é daquelas oportunidades que um homem não pode resistir, tens que entender que tu não me bastas" - E ela mata-o...


De Transbordices a 16 de Abril de 2008 às 17:58
Cara Cigana - já eu vejo a coisa doutra maneira

São suas situações diferentes - numa existe sinceridade, noutra não.

Mas se quisermos analisar mais pormenorizadamente teremos que dividir cada uma das declarações em duas partes distintas - O acto e a justificação do acto.

Se ambas são sinceras quanto à declaração do acto então só uma das duas é sincera quanto à justificação. Portanto numa delas não existe sinceridade...

Já agora - pode existir sinceridade sem verdade nua e crua? Para mim é uma ideia algo difícil para assimilar - A mentira sincera. Mentira e sinceridade são dois conceitos condenados a um divórcio que se impõe - são dois entes distintos, situados em dimensões diferentes, sem a mínima possibilidade de complementarização - ou é sincero ou é aldrabice. A sinceridade aldrabona não faz sentido para mim... :P




De cigana a 16 de Abril de 2008 às 22:12
Acho que acabamos por discutir pelo simples prazer de argumentar! Mas seja!
Não vejo porque é que, no exemplo que dei, não estão ambos a ser sinceros. Um teve uma aventura talvez isolada, e está arrependido porque não queria pôr o casamento em causa. Outro teve uma aventura banal e está a ser bruto exigindo que ela aceite que o esquema dele não é a monogamia.
Ambos são sinceros, mas ambos encaram a traição de formas diferentes. Certo?


De Transbordices a 17 de Abril de 2008 às 20:07
Pois se cada um está a ser sincero de maneira diferente é porque sentem os acontecimentos de forma diferente - cada um deles com a sua sensibilidade particular ...

Agora que cada um dos dois possa ser demasiado sincero é que já não pode ser - ou se é sincero ou não - ainda bem que concordamos

Discutir é diferente de trocar pontos de vista... Discutir envolve levantar a voz, casmurrice, impor ideias como um fim em si mesmo... Já trocar pontos de vista é diferente


De cigana a 17 de Abril de 2008 às 22:00
Ok, então nunca discutimos, só argumentamos!


De Transbordices a 17 de Abril de 2008 às 22:38
Às vezes discute-se, o diálogo assume contornos dramáticos e... lá vai peixeirada!

Agora se virmos bem a coisa, podemos dizer que um debate é uma discussão, mas há certas formas de discussão que não são um debate

A discussão pode envolver violência, mas o debate quando passa a envolver violência deixa de ser um debate e passa a ser uma discussão.

Podemos dizer que a discussão visa impor - enquanto que o debate visa alcançar o consenso...

Não é raro contudo a peixeirada vir a ser o desfecho de um simples debate - depende do que está em jogo, como já lhe tinha dito uma vez, se bem me recordo



De cigana a 17 de Abril de 2008 às 23:04
Não te preocupes que por maior que seja o debate, nunca chegaremos à peixeirada nem que nunca se alcance o consenso. E nem sempre alcançamos, é certo!


De clarissa a 5 de Julho de 2008 às 13:42
Gostei do seu blog. Sou brasileira e estou no Brasil. Não se pode ser sincero demais. Mentir faz parte da sinceridade. Afinal, vc. quer a verdade ou ser feliz ?
abraço,
Clarissa


De Transbordices a 10 de Julho de 2008 às 02:01
Bem vinda amiga brasileira - a mentira faz-me muito infeliz, se a felicidade se construir à custa de mentiras o mais certo é um dia enfrentar a tragédia - no meio dos escombros resultantes da derrocada

Cumprimentos


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
16
17
18

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


posts recentes

Frango???

A Volta

O Vidrão

A Culpa?

A convicção

No princípio

Melhor que isto...

...

Será que agora vai?

Cá estamos

Estou Armado ao Pingarelh...

Do Mito à Natureza

A Vontade do Saber

O que é a Ontologia?

...

A Multa

A Marca

O Tempo visto por quem di...

Limites

...

arquivos

Julho 2008

Junho 2008

Abril 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

blogs SAPO
subscrever feeds