Um bocadito para lá das aparências
Terça-feira, 22 de Maio de 2007
Astrologia – A Nova Religião?

Como se implanta uma Religião na fé dos povos? Que mecanismos levam a que a massa humana interiorize os princípios que formam os alicerces de uma crença? Não será verdade que as novas religiões quando surgem se caracterizam pela novidade, e que para lá dos princípios da crença e da fé, poucas semelhanças têm com as religiões em vigor?


E eis que quando se tendia a pensar que o Cristianismo pertencia já ao passado e que a fé já não é o que era, tendo os seus dias contados pelos torniquetes da razão, eis que surge a astrologia numa caminhada desenfreada que tende a conquistar os corações mais desconfiados e pragmáticos.


E aos poucos tem conquistado um lugar de respeito cativo nos círculos sociais, acabando por ditar regras muito próprias. Vemos diariamente figuras públicas embarcar no roda dos signos sem o mínimo pejo ou retraimento. Em certos casos dá muito jeito o preconceito – principalmente quando nos favorece.


Sem dúvida que nascer sob o signo do leão pode trazer grandes vantagens. Os mais entendidos sabem que os leões são pessoas que nasceram para o sucesso, resultando em excelentes lideres e pouco dados engolir sapos vivos. E sem dúvida que crescer embalado por este ritmo acabará por influenciar o próprio e os circundantes, todos sabemos o poder que a educação tem nas nossas atitudes. Quando se fica a saber que é leão, quando essa palavra soa no ar, parece que o tempo se suspende por instantes, que os pontos de apoio tendem a procurar maior firmeza, sente-se o respeito no éter – não pelas acções ou feitos, mas pelo preconceito. Com os leões não se brinca.


Já dizer que se é virgem acarreta de imediato uma certa falta de credibilidade, dificuldades acrescidas na afirmação pessoal, a tendência é pensar de imediato que é uma pêra doce, há pouca ferocidade no nome. Quando a palavra virgem soa no ar sente-se de imediato uma reivindicação pela supremacia, com este posso eu bem...


Já para não falar de certos touros que por aí andam, não são touros são vacas. Nunca vi uma tourada ser feita com uma vaca, mas elas gostam se ser vistas como touros, perigosas, ferozes. É uma boa muleta, excelente fonte de motivação.


A estratificação que decorre da crença na astrologia não é uma fantasia. Influencia a imagem que temos dos outros, para lá do que seria desejável. E porquê? Porque acabamos por julgar os outros não por aquilo que são e fazem mas pelo que pensamos serem as características associadas ao seu signo.


Digam-me lá se isto não assume os contornos de uma Religião? Mudam-se os tempos, mudam-se as características da fé.


Eu cá por mim prefiro a astrologia oriental...



publicado por Transbordices às 01:10
link do post | comentar | favorito

1 comentário:
De so12 a 24 de Maio de 2007 às 21:23
Haveria aqui muita a coisa dizer sobre isto, desde o modo como se implanta uma nova religião, que NUNCA é nada de novo, ams sim uma reciclagem das pré-existentes (caso do cristianismo) até aos signos....ser Leão? E Escorpião? E Virgem? E....??? Sabes muito...
Gosto de ler esta mistela que cada vez me é menos estranha ;)


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
16
17
18

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


posts recentes

Frango???

A Volta

O Vidrão

A Culpa?

A convicção

No princípio

Melhor que isto...

...

Será que agora vai?

Cá estamos

Estou Armado ao Pingarelh...

Do Mito à Natureza

A Vontade do Saber

O que é a Ontologia?

...

A Multa

A Marca

O Tempo visto por quem di...

Limites

...

arquivos

Julho 2008

Junho 2008

Abril 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

blogs SAPO
subscrever feeds